PLANEJAMENTO PROPÕE PL 5920 PARA AGRÔNOMOS DO INCRA, MAS ELES RECUSAM

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) propõs, novamente, nesta quarta-feira (9/6), fazer equiparação remunerativa com valores do PL 5920 aos agrônomos do Incra, mas a categoria recusou a proposta, por considerá-la abaixo de suas reivindicações.

O MPOG propõs aos agrônomos uma tabela salarial de R$ 5.490,60 de piso, com R$ 10,2 mil de teto, ao enquadrá-los da chamada “carreira transversal de analista em infraestrutura”, com efeitos financeiros para julho de 2011.

Tabela atual (esq.) e a que enquadra agrônomos no PL 5920

Os agrônomos buscam realinhamento salarial com a carreira os fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que é de cerca deR$ 17 mil de teto. Atualmente o salário dos peritos corresponde a 40% dos vencimentos dos fiscais.

Descaso com isonomia

A proposta feita aos agrônomos e não aos outros servidores do Incra, integrantes da carreira de Reforma e Desenvolvimento Agrário (que são cinco mil da ativa e seis mil aposentados), amplia os problemas de relacionamento entre os profissionais do Instituto.

Na última reunião entre MPOG e Confederação Nacional das Associações de Servidores do Incra (Cnasi), realizada na segunda-feira (7/6), foi acenado apenas  uma pseudoproposta, na qual haveriam três etapas, movimentos. Na primeira, o MPOG enquadraria alguns profissionais (arquiteto, economista, engenheiro, engenheiro agrimensor, estatístico e geólogo) nos padrões remunerativos foram instituídos pelo Projeto de Lei 5920. Apenas cerca de 360 servidores da ativa e aposentados, integrantes da carreira de Reforma e Desenvolvimento Agrário, seriam beneficiados pelo primeiro movimento.

No segundo movimento, entrariam todos os profissionais de nível superior com remuneração na casa de R$ 7,5 mil, de teto, no final de carreira. As duas primeiras etapas teriam efeitos financeiros previstos para julho de 2011. Um terceiro movimento, obrigatório para ser alcançada a isonomia entre os profissionais de nível superior do Incra, ficaria para ser efetivado pela próxima administração do governo federal.

Esse descaso com a isonomia enfraquece ainda mais o Incra, pois torna o ambiente de trabalho insalubre, com disputas internas. Pela avaliação da Direção da Cnasi, o ideal seria que os profissionais de nível superior tivessem a mesma remuneração. Isso foi pedido ao MPOG, em várias reuniões, bem como que seja melhorado os padrões remunerativos do pessoal de nível médio e auxiliar.  

Uma nova reunião da Cnasi com o MPOG está acertada para a próxima segunda-feira (14/6), às 16h, quando o MPOG garantiu que apresentará uma proposta, com tabela para níveis superior e intermediário.

Fonte: Ascom Cnasi

About these ads

62 Respostas to “PLANEJAMENTO PROPÕE PL 5920 PARA AGRÔNOMOS DO INCRA, MAS ELES RECUSAM”

  1. Cyro Says:

    Boa noite Reginaldo, esse 7,5 mil seria inicial ou final de carreira???Não entendi????

    • cnasilutas Says:

      Caro Cyro
      Seria final de carreira e no teto (já alterei na reportagem) – dureza, não????
      Um abraço
      Reginaldo – jornalista

  2. ribeiro Says:

    A SRH, do MPOG mandou Ofício para a CONDSEF. leiam esse Ofício. É muito importante. O INCRA está incluso no resto do mundo (carreirão), a condsef sabe disso, deveriam ser mais transparente conosco.

  3. TerraLegal Says:

    …ao que parece a tabela é outra, mais achatada não? No aludido PL são várias tabelas! Essa a que se refere prevê um teto de 7,5mil.

  4. cleuza carneiro Says:

    PARA CONHECIMENTO DE TODOS OS SERVIDORES DO INCRA

    Relatório da Reunião da CONDSEF com a SRH/MPOG.

    Data: 08/06/2010
    Local: SRH/MPOG
    Pauta: Demandas da CONDSEF
    Presentes: SRH/MPOG: (Secretária Maria do Socorro, Diretora Marcela Tapajós e Coordenadora Eliane Cruz); CONDSEF: (Josemilton, Sérgio Ronaldo, Pedro Armengol, Gilberto Jorge, e Roberto).

    A reunião foi aberta pela Secretária Maria do Socorro, e em seguida foi discutido ponto a ponto do Ofício n.º 125/2010, encaminhado pela CONDSEF contendo as demandas da base:

    1. Gratificação de Qualificação para o nível médio (GQ): O Governo apresentou uma proposta de GQ no valor de R$ 250,00. A CONDSEF questionou o valor, argumentando que era irrisório e não atendia as demandas da categoria. O Governo ficou de verificar o valor pago aos (as) Servidores (as) do FNDE no valor de R$ 680,00.
    2. Equalização Salarial do nível superior (Carreiras Transversais): O Governo apresentou uma proposta de teto no valor de R$ 7.500,00, como uma primeira aproximação com a remuneração de Analista Social, para todo o nível superior do PGPE, PST, PEC/CULTURA, PEC/FAZ, PEC/PRF, PEC/PF, SUFRAMA, SUDAN/SUDENE, FUNAI, IMPRENSA NACIONAL, INCRA e PREVIDÊNCIA, PCC, e DENASUS.
    3. Equalização Salarial do PEC/FAZ e Aglutinação de Cargos: Neste momento o Governo não irá discutir Equalização Salarial e neste momento o tratamento será o mesmo dado ao PGPE e outros Setores. Sobre Aglutinação haverá uma Agenda Específica para discutir este assunto (após o dia 03/07/2010).
    4. Incorporação da GAE do N.A do PEC/FAZ: O Governo irá encaminhar no Instrumento Legal a Incorporação da GAE, sobre os atrasados o Governo informou que não terá como pagar os atrasados.
    5. Equalização dos valores da GACEN e GECEN a Indenização de Campo: O Governo irá equalizar os valores das duas Gratificações a Indenização de Campo.
    6. Reabertura de prazo de opção para receber a VPNI para o pessoal do DNOCS: O Governo encaminhará no Instrumento Legal com reabertura de prazo.
    7. Departamento do Fundo de Marinha Mercante: O Governo irá se reunir nos próximos dias com o Ministério dos Transportes para tratar da demanda do Fundo de Marinha Mercante.
    8. Redistribuição dos (as) Servidores (as) da Roquete Pinto (Ex-TVE) para as Instituições da Cultura: O Governo informou que terá uma reunião com o diretor do DERAP para definir esta situação.
    9. Tabela Remuneratória dos Celetistas do HFA e Regulamentação das Progressões: A SRH analisou as Tabelas Remuneratórias dos Celetistas e Estatutários e verificaram que as Tabelas são similares. Neste sentido não será encaminhado Tabela dos Celetistas. Sobre a Progressão o Governo irá regulamentar e será garantido a progressão dos anos que os Celetistas ficaram estacionados.
    10. Carga Horária dos Estatutários dos (as) Servidores (as) do HFA: Este assunto é prerrogativa do Diretor do HFA, não cabe a SRH Legislar esta matéria. Existe uma Portaria que dá prerrogativa ao HFA definir a Carga Horária.
    11. Plano Especial de Cargos da Imprensa Nacional: O Governo irá instalar uma Agenda para discutir as especificidades do Órgão, também irá conversar com a Casa Civil e depois será definido como será estruturado o Quadro Funcional da Instituição.
    12. Sobre o Arquivo Nacional: O Governo ainda não têm uma posição definida sobre como será a Remuneração dos (as) Servidores (as). Voltará a conversar com a CONDSEF nos próximos dias. A CONDSEF solicitou a Secretária que avisasse com antecedência, para podermos convocar os (as) três Servidores (as) do Órgão que estão no processo negocial com a direção da CONDSEF.
    13. Sobre RT e GQ para os (as) Servidores (as) da Cultura: O Governo informou que será dado o mesmo tratamento do PGPE e outros Setores.
    14. Situação Remuneratória dos Administrativos do MAPA; O Governo reafirmou que será dado o mesmo tratamento do PGPE.
    15. Sobre os 80/20 da Gratificação da EMBRATUR: O Governo irá encaminhar no próximo Instrumento Legal.
    16. Situação Remuneratória dos (as) Servidores (as) do Ministério da Justiça: Será dado o mesmo tratamento do PGPE.
    17. Sobre a VPNI dos (as) Trabalhadores (as) do DPRF que deixaram de receber: O Governo irá verificar o que houve e voltará a conversar com a CONDSEF.
    18. Sobre Concurso Público para suprir a defasagem dos Administrativos e coibir os desvios de função da Polícia Rodoviária Federal: A Secretária irá conversar com os Gestores do Ministério da Justiça e DPRF para verificar o porque não houve Concurso Público para esta área.
    19. Sobre Plano de Carreira para SUDAN e SUDENE: O Governo dará o mesmo tratamento que foi dado a SUFRAMA e ao PGPE. Terá uma Agenda para discutir o Plano de Carreira.
    20. Inclusão dos Docentes do Ex-Território de Fernando de Noronha na Carreira de Ensino Tecnológico: Será incluído no Instrumento Legal que o Governo encaminhará nos próximos dias para o Congresso.
    21. Plano de Carreira para o MRE (Administrativos): O tratamento será o mesmo dado ao PGPE.
    22. Servidores (as) do Ministério da Defesa: O Tratamento será o mesmo dado ao PGPE.
    23. Criação da Carreira Indigenista para a FUNAI: O tratamento será o mesmo dado ao PGPE.
    24. Áreas Insalubres/Periculosas e Outras: O Governo não concordou com a proposta apresentada pela CONDSEF e apresentará uma outra proposta alternativa de valores.
    25. Sobre o Mandado de Injunção 880: O Governo encaminhará a Orientação Normativa nos próximos dias.

    Brasília, 9 de junho de 2010

    Saudações Sindicais,

    Secretário Geral/CONDSEF

    • Lauriano Says:

      Muito boa a informação, Cleuza.

      Ta aí o que falei mais abaixo. Olhem o ítem 2, e vejam quem vai entrar na cerreirona “Analista Social”. Isso é a maior roubada!

      Vamos pelo menos defender que o Incra entre, todos juntos, na de Infra.

      E se os agrônomos realmente não toparem essa proposta, tô com eles e não abro. Se não é bom pra uns, não é bom pra ninguém. Vamos lutar todos juntos por uma coisa melhor, mas sabendo que a briga vai ser feia, que vai ter retaliação do governo e que pode demorar.

      E aí, o que vai ser?

  5. alex Says:

    A CONDSEF não está nem ai para nós..Se oferecerem o PL para nós temos que aceitar, agora não há que se falar em isonomia, isso nãio irá acontecer pelo andar da carroagem!!
    Pelo que estou vendo iremos amargar essa porcrioa de 7,5 mil de final de carreira, o que na prática, aumenta 1mil brutos no que já temos hoje..É melhor não aceitar isso e ficar sem nada para brigarmos no ano que vem de maneira diferente, preocupando com o nosso salário e menos com a reforma agrária, essa está como conequência de melhores condições de trabalho.
    Porque a CNASI não propõe isso para o MPOG?
    A disposição do MPOG é clara, eles só estão negociando como os Agrônomos, a nossa é aquilo que propuseram na última reunião, por isso não estão preocupados. Temos que chegar com uma proposta construída por nós na segunda-feira e dizer que é assim ou greve sei lá…Estamos marcando bobeira na espera de que virá alguma proposta diferente da hipótese que foi apresentada na segunda passada!
    Vamos morrer na mendigagem de 1 mil reais é inadimissível..
    Vamos acordar pessoal!!A carreira trasnversal é uma proposta que veio para ficar, é tão pretendida pelo PT quanto pelo PSDB, portanto, as carreiras que ficarem de fora deles irão ser extintas!!!
    Não dá para esperar boa vontade do MPOG com o restante da carreira, claramente para eles só os Agrônomos estão negociando, o nosso já está negociado por eles, ou pegamos aquela porcaria de pseudoproposta ou iremos ficar sem nada, esse é o pensamento do MPOG.

  6. alex Says:

    Pessoal,

    Acabei de ler no site da CONDSEF o que o MPOG proporá ao Congresso. O salário final de 7,5mil é inevitável, eles não irão nos colocar em um patamar diferente. Agora realmente está definido, aquelas carreiras que lá estão não chegarão pertio do PL 5920 imaginem algo melhor ou isonomia.O que eu disse acima, a questão da carreita transversal está definida para o MPOG.
    Para mim não precisaria nem sequer a reunião da próxima segunda, eles irão apresentar a tabela de teto 7,5 mil e nada mais do que isso!!
    Já era!!

  7. alex Says:

    O que eu acho mais engraçado do MPOG é que ele tratar algumas carreiras que fazem a mesma função de uma forma e outras de forma diferente,. Por exemplo: os Administrativos da AGU receberam uma proposta similar a do PL..Eqnaunto nós ficaremos com essa m…de probosta!!!
    Reginaldo, qual é a estratégia da CNASI sobre esse fato e sobre o foício de ontem da SRH para a CONDSEF. O que os dirigentes estão pensando a respeito de uma tática para tentar reverter a situação?
    Não temos nenhuma sinalização do MPOG sobre isso?
    Pelo que estamos vendo aqui o Barco passou e nós ficaremos à deriva!!

  8. alex Says:

    Ressalto que deve ser levado ao conhecimento do MPOG com bastante ênfase a questão das brigas internas quqe já estão ocorrendo por causa desse tratamento diferenciado que estão dando.
    Temos que informar aos Pralamentares que estão nos ajduando sobre o que foi oferecido aos Agrônomos e nada para a gente, para que eles entrem em contato com o MPOG e peçam explicações.
    Acabei de crer que estamos f…o que virá, sem sombra de dúvidas será a probosta de 7,5 mil de teto..Mandem o MPOG enfiar essa esmola onde eles quiserem.

  9. alex Says:

    Se essa proposta queo MPOG ofereceu de uns ganharem o PL e outros ganharem esmola passar, como eu estou na parcela da esmola, simplesmente vou transferir o meu trabalho para os que estiverem ganhando mais, pois não aceitarei fazer a mesma coisa que o meu companheiro ao lado e ele ganhar 2 vezes o que eu ganho.
    O MPOG conseguirá reduzir a capacidade de trabalho do INCRA pois tenho certeza que muitos irão agira assim. Eu farei dessa forma..Espero que os outros façam também porque não é aceitável essa diferenciação aqui entro.As pessoas desenvolvem o mesmo trabalho e terão remunerações diferentes?A isonomia entre a carreira dos Analistas é mais importante até do que com o de Peritos..
    CNASI você têm que levar essas coisas para o MPOG. A Assinagro está a alguns Km de distância de nós nas negociações…Vamos abrir o olho!!

    • Cyro Says:

      ALEX, AQUI EM SC OS ANALISTAS E TÉCNICOS QUE SÃO ASSEGURADORES DE CONVÊNIOS E CONTRATOS, ASSINAM ART’S, VÃO PEDIR PARA QUE A RESPONSABILIDADE SEJA REPASSADA PARA A CATEGORIA “PREFERIDA” DENTRO DO INCRA. ACHO QUE NO BRASIL DEVEMOS TODOS FAZER ISSO, JÁ QUE NÃO TEM JEITO,TEREMOS TEMPO DE ESTUDAR E SAIR DESSA M***** DE ÓRGÃO!!!!CHEGA DE DAR O SANGUE!!!!VOU SÓ CUMPRIR TABELA!!!!

  10. Valêncio Says:

    Mas isso não importa pessoal!! O salário que vocês irão receber é o de menos!! O que tem que comemorar é que os agrônomos não conseguiram aumento!! É isso que importa, o resto é resto! Vão comemorar, fazer churrasco! Os agrônomos não conseguiram!

  11. alex Says:

    Valêncio, essa não é a minha forma de ver a situação, se a mensagem foi endereçada a mim. ~Confesso a voc~e que não estou nem ai para os Agrônomos, quero é uma carreira digna para mim e que eu ache justo, se eles irão ganhar mais dane-se, desde que eu ganheum salário proporcional ao nmeu trabalho!

  12. Cyro Says:

    Concordo contigo Alex!!!!

  13. alex Says:

    Reginaldo,

    Você pode nos falar alguma coisa a respeito do que está acontecendo?
    Qual é a pers´pectiva da CNASI e da CONDSEF em relação a nós?
    Obrigado!

    • cnasilutas Says:

      Caro Alex
      É difícil falar em perspectiva, pois é um momento nebuloso. O Governo tá duro na queda. O bom é q não desistimos e estamos partindo para cima dele com tudo e usando todas as armas etica e legalmente aceitáveis – o q infelizmente não é feito por todos. Segunda-feira será um dia decisivo.
      Um abraço
      Reginaldo – jornalista

  14. Antonio Nanes Says:

    AH!!! Que isso o Valêncio está descontrolado! !!!
    Você só pode estar ficando maluco rapaz, como não ganhamos nada? Você deve conhecer um pouquinho de matemática, faça as contas.
    Continue assim com esse pensamento que vai longe.

    Que Deus lhe abençoe.

  15. Lauriano Says:

    Carreiras transversais: são três – infra, des. social e executiva. A idéia do governo é válida no sentido de equiparar distorções atualmente existentes no Executivo. Analistas Administrativos, Pedagogos, Antropólogos, Engenheiros, Contadores, etc… têm atividades bastante parecidas dentro de vários órgãos (considerando que estejam trabalhando em suas respectivas funções), entretanto existe de fato uma distorção na remuneração destes profissionais . Então o Governo cria “macro” carreiras, de acordo com a formação e a área de atuação do profissional e o encaixa numa dessas três, que alias, ao que tudo indica, devem ter remuneração equivalente. Pessoal, a idéia é boa, é válida, é louvável, e principalmente, é irreversível. Estes profissionais mereciam mais? Sem dúvida alguma! Mas o preço por se corrigir as distorções é limitá-los a um padrão remuneratório que caiba dentro do orçamento do Governo.

    INCRA: Achamos todos, agrônomos e analistas, que pertencemos a um órgão de maior envergadura, que deveriamos ter carreira própria, forte, valorizada e não pertencemos e essas classes marginalizadas, como os PGPEs por exemplo. Não queremos uma “vala comum” com outros cargos de outros órgãos.

    O problema: o INCRA realmente é um órgão forte cujos servidores necessitem de carreira própria, valorizada? Não responda a si mesmo essa pergunta, porque nessa hora de reivindicar salário, todo mundo vai dizer que sim. Olhe em volta e veja como grande parte dos próprios colegas vêem o Incra fora dessa questão, no seu dia-a-dia, como a sociedade vê o Incra e como o próprio governo vê o Incra. Não vou entrar no mérito da real importância e alcance social desta autarquia, mas o fato é que hoje, não temos força pra colocar esse órgão, e consequentemente seus servidores, no lugar onde queremos. Os agrônomos entendem que têm uma certa vantagenzinha nesse aspecto. A descrição de suas atuais atribuições reforça isso. Entendem que estão um pouquinho à frente no quesito “valorização”. Então é aquele ditado: “farinha pouca, meu pirão primeiro”. Tá errado!

    Solução: a curto prazo, infelizmente nenhuma. Vai todo mundo entrar nas “carreironas” transversais mesmo e acabou! E embora os agrônomos de fato tenham uma pequena vantagem, seja pelo seu reduzido número, seja pela mais fácil “valorização” de suas atribuições, não vão conseguir coisa alguma diferente disso, visto que o Governo já deixou mais do que claro que não vai alimentar distorções remuneratórias maior do que as já existentes e que não tem interesse e fôlego financeiro pra jogar todos pra cima num padrão que gostaríamos. A longo prazo, vamos precisar todos juntos, mostrar ao governo e à sociedade a importância e a envergadura desta autarquia. Precisamos gerar números de forma sistemática, mostrando o impacto social e econômico, traduzidos em R$, que o Incra gera na sociedade.

  16. alex Says:

    Lauriano,
    PARABÉNS PELA SUA REDAÇÃO.SÓ ACHO QUE O GOVERNO ESTÁ PERDENDO A OPORTUNIDADE DE INSERIR TODOS QUE ESTÃO DE FORA NA MESMA VALA DA INFRAESTRUTURA OU SEJA O PL 5920.
    sE FIZESSE ISSO SERIA O IDEAL.CONCORDO COM VC, MAS ACHO QUE NÃO DEVE HAVER DISTORÇÕES ENTRE OS CARREIRÕES ENTÃO.

    • Lauriano Says:

      Verdade Alex. E acho também que diante das atuais circunstâncias, o máximo que poderemos conseguir é colocar todos dentro de uma única carreirona dessas. Preferencialmente a de Infra na minha opinião. E mesmo assim vai ser muita briga!

  17. Carlos SIlva Says:

    Infelizmente , o colega acima esta correto.brigas internas aliado a políticas predatórias foram ao longo dos anos enfraquecendo o nosso órgão . A proposta que será realizada e apenas reflexo disso……

  18. Lauriano Says:

    Tenho ainda algumas dúvidas:

    1. Os Analistas Administrativos, que devem entrar na “Carreira Executiva”, vão ficar de fora dessas primeiras etapas? Sim, porquê a tal “Carreira Executiva” ainda não tem a menor perspectiva de sair. As de Infra e Des. Social estão programadas para terem seus efeitos financeiros para jul/2010.

    2. Analista em Reforma – Eng. Civil por exemplo, entra na carreira de Infra, ou só aqueles servidores bem antigos que fizeram concurso para Eng. Civil mesmo é que vão entrar nessa?

    3. Pelo que estou sabendo, as tabelas remuneratórias das carreiras transversais serão “equivalentes” O que quer dizer “equivalente”? Significa que não são iguais? O ao longo dos anos pode haver distanciamento entre elas?

    A única certeza que tenho é que colocar o Incra dentro desse pacotão é a maior roubada para seus servidores. Uma vaz dentro, vai ser muuuito difícil sair. Essas carreironas vão ser sempre os primos pobres do serv. público. As de mais difícil articulação, mobilização, etc. até porquê, com exeção do Incra, os servidores estão bastante pulverizados entre dezenas de órgãos diferentes e sempre em pequenas quantidades.

    Essa proposta é a maior prova o descaso que o Governo tem com esta Autarquia.

    • MArkell Says:

      Vou tentar resonder teus questionamentos:
      1- Segundo o governo, ainda não finalizaram os estudos para a criação da terceira carreira transversal. Em princípio, os ANAs vão ficar de fora por enquanto.
      2- Não. Vão ficar de fora. Apenas os cargos específicos de engenheiro, economista etc. PAra o MP, vcs são ARDs.
      3- São equivalentes, mas não são iguais. Há pequenas diferenças, como por exemplo: a proporção entre VB e gratificação e níveis de progressão na carreira. Na minha opinião, a carreira social é melhor do que a de infra.

      Valeu.

  19. alex Says:

    Lauriano,
    cho que fora isso não há que se discutir, podemos até entrar na carreirona que será inevitável pelo que vejo, mas desde que seja na Infraestrutura, porque Social, 7,5 mil e Executiva que nem sequer foui criada será o fim!
    O meu receio é que essa briga nós já perdemos lá atrás!Perdemos a chance de negociar outra coisa. A Isonomia com os agrônomos derrubou qualquer chance de melhorias para os Analistas e Técnicos.Perdemos muito tempo com algo que seria muito difícil de conseguir!

  20. César Says:

    Na nossa 11.090 há uma alusão a esses camardas da seguinte forma: “Art. 2o Os titulares dos cargos de nível superior, intermediário e auxiliar do Quadro de Pessoal do INCRA, a que se refere a Lei no 7.231, de 23 de outubro de 1984, e alcançados pelo Anexo V da Lei no 9.367, de 16 de dezembro de 1996, poderão optar pela efetivação do enquadramento do respectivo cargo no Plano de Carreira a que se refere o art. 1o desta Lei, mantidas as denominações e atribuições.”
    São esses colegas de nível superior que irão para esse tabela igual à dos batatas, os demais, oriundos do concursos de 2005 e esse de 2010, irão para essa tabela tosca.
    A solução para nós engenheiros, é tentar algo junto ao SENGE…

    • Murilo Mendes Says:

      Cesar que batatas? Nao entendi.

      • César Says:

        Ora, a proposta apresentada aos ilustres agrônomos é aquela em alusão ao PL5920, proposta essa que alcançaria inclusive os Engenheiros, Engenheiros Agrimensores, Economistas e etc, contratados em concursos anteriores à 2005, e que viria a ser a carreira de infra-estrutura.

  21. Marcio Sales Says:

    Estão achando pouco????? Para mim qualquer aumento de salário já está bom….acho que dá mais moral para brigar futuramente..

    Mil reais a mais bruto é pouco? Eu quero. O INCRA não tem moral para muita coisa não.

  22. Murilo Mendes Says:

    Qualquer aumento já será uma vitória…seria como uma saída honrosa para a mobilização deste ano.

    Próximo ano a gente tenta mais. Quem acha que 1000 reais a mais é pouco, deposite na minha conta.

  23. Leandro Says:

    Engraçado é que nem o PL nos é oferecido. Estamos com menos que o PL! E isso é só para os NS para os NI nada!
    Se não oferecerem nem o PL de uma só vez acho que é melhor não aceitar nada. Até pq não falaram como fica o inicial. Só o final de carreira.

  24. alex Says:

    Pelo que vejo uremos ficar sem nada.Também concordo com o Leandor, se não for pelo menos o PL para todos nada de acordo!!!

  25. César Says:

    Concordo! …se não for o PL pelo menos, prefiro segurar a onda agora para no ano que vem tentarmos coisa melhor… Afinal, na carreira de analistas temos engenheiros também, o que não justificaria essa diferenciação, pois o perfil é mais voltado à infra-estrutura, onde estarão os batatas!

  26. Lauriano Says:

    Também concordo. Ou o PL pra todo mundo, ou nada!

    E se os agrônomos realmente não toparem essa proposta, tô com eles e não abro. Se não é bom pra uns, não é bom pra ninguém. Vamos lutar todos juntos por uma coisa melhor, mas sabendo que a briga vai ser feia, que vai ter retaliação do governo e que pode demorar.

    Agora, que muitos agrônomos estão torcendo pra que agente aceite qualquer coisa, pra que eles possam correr por fora, isso tem!

    • Ulysses Morbeck Says:

      Sabia que você não ia conseguir ficar muito tempo vendo a luta de fora companheiro, uma hora você ia entrar no meio da briga. Bem vindo ao front!

  27. Valêncio Says:

    Deixa eu ver se entendi bem, agora vocês vão de novo tentar carona na proposta dos agrônomos? Isso é hilário!!! Seria trágico se não fosse cômico!!!

    • Lauriano Says:

      Não! Você realmente não entendeu.
      Se a proposta for igual pra ambos, agrônomos e analistas, podemos analisar. Se ambos toparem, seguimos em frente. Se pelo menos um não topar, o outro recua.
      Neste caso, não vamos pegar carona na proposta de vocês e nem vocês na nossa. Vamos construir uma em conjunto e lutar junto por ela.
      Ficou claro agora ou quer que eu desenhe?

      Agora eu repito, o que mais tem é agrônomo querendo que os analista definam qualquer coisa, não importa o quê, pra poderem correr por fora, se achando mais forte e com mais chances. Acordem!

  28. Miramar Says:

    Os analistas estão mais perdido do que cachorro em comício, não sabem pra onde vão.

  29. alex Says:

    Pois é…isso é motivo de preocupação mesmo!!!porque não sabemos o que vem por ai..
    Reginaldo,

    O que acontecerá se a proposta que eles apresentarem não for aprovada pelas bases?O que a CNASI e a CONDSEF têm em mente?Há uma plano B, C, D E Z?
    Como a CNASI vai preparada para a reunião..com alguma proposta pronta, com uma definição quanto ao que irá aceitar ou não ou iremos apenas nos reunir para ouví-los e tentar agendar algo posteriormente?

  30. Marcio Sales Says:

    Recusar a proposta, ainda que não seja a desejada, é burrice. Ninguem sabe como o proximo Governo vai negociar.

    O que é melhor: 1000 reais ou nada?

  31. alex Says:

    Se aceitarmos isso agora Márcio não poderemos brigar por nada no próximo Governo pois vão fazer como este dizendo que a gente já teve a carreira estruturada.Da última vez perdemos a oportuindade de brigarmos por algo melhor e aqui estamos novamente brigando por mais 1 mil reais….
    As greves do INCRA já constam até em calendário da Autarqui..todo ano tem, igual Carnaval e Vestbular.
    É melhor nada do que esmola..Mil reias tem muitos que tiram isso em diárias, portanto, não vai fazer falata para muitos.

  32. ribeiro Says:

    Pô se não falo. Estamos todos sendo iludidos. Estou saindo de tudo que é relacionado afiliação.Sindicato, Assincra C…., C….,

  33. ribeiro Says:

    Só queria a vedade, mesmo que fosse a pior possível….

  34. Carlos SIlva Says:

    Diárias: eis uma das mazelas do INCRA. Muitos disputam as mesmas como ratos famintos….não usemos diárias como moeda de troca ou como compensacao pelo salário de fome!

  35. alex Says:

    Eu nem sequer recebo diárias Carlos, digo isso porque mil reais não pode ser justificativa para que aceitemos uma proposta ridícula a troco de talvez não conseguirmos nada mais adiante…
    Cada vez que aceitamos merrecas para o MPOG estamos sendo reestruturados o que não nos permite brigar por uma carreira descente!!

  36. Carlos SIlva Says:

    Eu tambem não .acho que não podemos aceitar essa proposta, pois será o fim da nossa carreira, estaremos todos dentro desse carreirao dos miseráveis

  37. César Says:

    Ops, façam as contas de dedução de IR e de Previdência….

  38. alex Says:

    O pior é que o MPOG vai continuar com a mesma proposta.Inclusive porque em momento algum nós propusemos alguma coisa a eles, ficamso esperando proposta para fazermos a contraproposta e nada, portanto, eles sequer sabem o que queremos realmente. Mesmo que fosse a isonomia com os Agrônomos a proposta tinha que ser entregue.Não falo daquele Ofício do Rolf, mas algo mais construído..
    Perdemos o bonde mais uma vez, porém, dessa vez, espero que não aceitemos qualquer porcaria para gfazer valer a “mobilização”…precisamos é de remuneração decente e não descente!

  39. Cleone Says:

    11/06/2010 – SRH/MPOG Reagendou as Reuniões Marcadas para os dias 14 e 15/06/2010
    As Reuniões que a SRH/MPOG Agendou para os dias 14 e 15/06/2010 serão remarcadas para os dias 16 e 17, devido a ausência da Secretaria Substituta Maria do Socorro.

    A CONDSEF informará na segunda-feira as datas e horários das reuniões dos diversos setores assim que a SRH/MPOG informar a CONDSEF.

  40. Perito Says:

    Ao valêncio e similares http://www.youtube.com/watch?v=KxLfFfijLac&feature=fvw

  41. Perito Says:

    Ao Valêncio e similares

  42. Marcio Sales Says:

    Então tá….recusem a proposta e corram atrás de mil reais de diárias……acho uma bobagem recusar.

    Primeiro ano de governo ninguem negocia nada.

    • Lauriano Says:

      Márcio, não se trata do valor monetário para um ano, nossa leitura é que com o aceite dessa proposta, acabou-se tudo. Não existe mais luta ano que vem, nem em 2012, nem em 2013. Já era! Game Over!
      Essa proposta nos coloca num sacão, num carreirão único, junto com dezenas de milhares de servidores pulverizados nos mais diversos órgãos, inclusive na Adm. Direta. Tanto ativos como aposentados.
      Se já reclamamos que não temos força de mobilização, imagine depois!

  43. Cristiano Says:

    problema de relacionamento, com os agronomos, fala sério né CNASI, não sou agronomo e não vejo problema de relacionamento com eles, vamos ter discernimento e para de jogar a culpa dos agronomos, isso é joguinho do governo, tava entranto nessa tambem, mas não tem nada a ve. A CNASI tem que parar de ir atrás deles, ISONOMIA é utopia, se assim o fosse queria equiparação com o pessoal da PF, das Agencias Reguladoras, do Judiciario, etc… Pois entrei con INCRA através de cargo especifico, vamo parar com esta babaquice de ISONOMIA, deixe os agronomos lutar com a tabela deles, e vamos construir a nossa. Greve, é tiro no pé.

  44. Marcio Sales Says:

    Lauriano,

    melhor um passarinho na mão que dois voando!!

  45. elniro Brandão Says:

    O MPOG criu o cargo de analista de infraestrutura cujos salarios são de 10 mil, inicial. O INCRA fez concurso para analista em reforma e desenvolvimento agrário com remuneração de 3,7 mil. Muitos cargos públicos são de ” analista” disso, daquilo, e o salario depende de quem chora, tem pano pras mangas ou quem adora injustiça.Somente a mobilização fará com que haja isonomia.Os professores, coitados, não podem nem se mobilizar para chegar ao piso de mil, pois se fizerem greve o governo acha é bom.Educação não serve pra nada ao que parece. Voltando ao assunto, no recente concurso para analista do incra tem gente de fora fazendo concurso para outra cidade pleiteando com duasou tres vaguinhas a mais. Quando receber o salario liquido em torno de 2600, e pagar o aluguel em outra cidade , a prestação do carro popular 1.0, e a escola ou faculdade do filho, aí cumpade, é só seguir o pessoal do MST ou pedir ajuda da maezinha aposentada, do avô, da mulher. Não poderá tratar dos dentes, comprar livros, viajar nas férias ou seja viverá pobremente. SE isso acontecer diga que é funcionário publico federal de ministeriozinho.ACORDA JUSTIÇA, ACORDA QUESTÕES DE DE DIREITO CONSTITUCIONAL, DIREITO ADMINISTRATIVO, QUE SÓ FUNDAMENTA O QUE NÂO OCORRE NA PRATICA…

  46. Jorge Says:

    o teto (PGPE) é R$ 7500, onde eu encontro a tabela pra saber qual o inicial?

  47. Edmir Silva Says:

    Elniro fumou maconha estragada?

  48. elniro Brandão Says:

    Caro Edmir:
    Gostaria que traduzisse sua pergunta., Não entendi a expressão maconha estragada

Os comentários estão fechados.


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: