EM AUDIÊNCIAS COM MINISTROS PARLAMENTARES E ENTIDADES PRESSIONAM POR SOLUÇÃO PARA INCRA E REFORMA AGRÁRIA

Uma série de reuniões cuja pauta é a reestruturação/desestruturação do INCRA, entre outros assuntos, ocorre nos próximos dias em Brasília. Serão reuniões com ministros da Secretaria de Relações Institucionais, do Desenvolvimento Agrário e da Secretaria Geral da Presidência da República.

Parlamentares integrantes do Núcleo Agrário do Partido dos Trabalhadores (PT) realizam duas audiências no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça e quarta-feira (22 e 23/3), para tratar de assuntos ligados ao meio rural, inclusive sobre a reforma agrária e o INCRA.

Ainda nesta semana outra reunião acontece. Nesta, representantes de entidades que compõem o Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo (FNRA) se reúnem, na tarde desta sexta-feira (25/3), com o ministro Afonso Bandeira Florence (MDA). Dois diretores da Confederação Nacional das Associações dos Servidores do INCRA (Cnasi) estarão presentes à audiência, quando irão defender a autarquia, suas atribuições e seus servidores.

Saiba mais no http://www.cnasi.org.br/

22 Respostas to “EM AUDIÊNCIAS COM MINISTROS PARLAMENTARES E ENTIDADES PRESSIONAM POR SOLUÇÃO PARA INCRA E REFORMA AGRÁRIA”

  1. Naftalino Moleira Says:

    O território onde o homem desenvolve sua vida deve ser conhecido, valorizado, registrados seus atributos e seus limites. O ordenamento territorial é tema amplo, e possui dimensões geométricas, jurídicas e econômicas. O cenário tecnológico atual privilegia a construção de um cadastro de múltipla finalidade para toda sociedade brasileira, constituindo-se como um sistema básico para qualquer tipo de planejamento ou desenvolvimento. A ausência deste sistema privilegia determinados tipos de interesses escusos, obstruindo ações governamentais legítimas, desvalorizando o próprio território, o meio ambiente e a população humana que lá investe os anos de suas vidas.

    É neste contexto todo que o INCRA vem disperdiçando oportunidades, levando suas políticas quase que totalmente numa só direção, ‘esquecendo-se’ de fazer este grandioso dever de casa. Falta de gente especializada, é verdade! Mas o que mais falta é condução ou projeto.

  2. Incra Analista Says:

    Reginaldo!!!

    Caso aconteçam mesmo essas reuniões teremos uma oportunidade para apresentar todas as nossas demadas para a reestruturação do INCRA, ainda que a questão salarial seja encaminhada para o ano que vem, mas com algum acordo proposto. É importante demonstrar que a maioria dos servidores desta Casa clamam por reestruturação e limpeza geral da corja encostadora e política que aqui existem,além de servidores sem comprometimento. Demonstre somos o que mais querem a reestruturação imediata deste lugar!!!

    • cnasilutas Says:

      Caro Analista
      Tenha absoluta certeza que a Cnasi vai defender os servidores, o Incra e sua missão, como tem feito há 25 anos.
      Um abraço
      Reginaldo

      • Isaias Says:

        Parabéns pelos 25 anos nos defendendo, por isso que estamos tão bem,kkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Desculpe-me, foi impossível aguentar!!!!!!
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • cnasilutas Says:

        Caro Isaias
        A Cnasi foi criada em 1986 e desde esta época ela vem defendendo os servidores, o Incra e a reforma agrária. Isso está no seu estatuto. Eu e outros colegas estamos na direção da Cnasi há 12 meses. Neste período, muitas vezes temos saído da Confederação às 23 horas, trabalhado nos feriados e finais de semana, etc e tal. Muitos de nós trabalhamos pela maioria dos servidores. Infelizmente há servidores que não fazem nada, vivem de diárias, sequer participam de assembleias das associações e não colaboram em nada.
        O Incra e os servidores não são valorizados porque a reforma agrária (e as outras atribuições desta autarquia) nunca foram nem são valorizadas pelo governo atual, muito menos pelos anteriores, nos 510 anos do Brasil. Isso está claro e qualquer um que entenda um pouco de história ou possa fazer análise de conjuntura percebe facilmente.
        Se dependesse exclusivamente da Cnasi resolver a situação, há 25 anos ela estaria resolvida, tenha absoluta certeza.
        É muito difícil lutar por servidores bitolados, desorganizados e com o umbigo do tamanho do Maracanã. Infelizmente.
        Um abraço
        Reginaldo

      • Joe Says:

        O que falta ao Incra é parar um pouco de culpar os outros.
        É louvável que a diretoria esteja trabalhando até tarde, mas esperavam por isso quando se colocaram à disposição dos servidores que auxiliam as associações. Pode ser feita a proposta de remuneração dos diretores, assim não haveria melindres quando fossem feitas as cobranças.
        Se o Incra não fosse valorizado, diversos servidores antigos não teriam ficado no Incra, nem entrado, já que naquela época não existia concurso público (há servidores aqui que deixaram de trabalhar em bancos, PF e outros órgãos pq o Incra pagava mais, bem mais).
        Os problemas do Incra não foram causados por essa gestão da diretoria, mas sim pela inércia de vários setores do próprio Incra, quando tomou para si atribuições em todos esses anos sem que houvesse estrutura suficiente. A culpa do Incra estar nessa situação não pode ser rifada desse jeito, nem simplificada na gritaria de que sempre foi assim. Não foi.
        O Incra quis abraçar o mundo, não houve manifestação adequada dos servidores no devido tempo.
        Muitos sim, vivem de diárias, mas isso não mostra se quem vive de diárias está rendendo mais ou menos dentro do órgão por isso. A luta pela diária igualitária nível superior/médio não gerou nenhum problema? Alguém discutiu diárias iguais também para diretores, DASs em geral no valor de sua formação (e não do cargo)?
        Não julgo que nível superior deva ser diferenciado dos níveis médios, são iguais, porém o ideal é que níveis médios devessem ser em maior número e assim, gozar de um número maior de diárias, vários servidores sob supervisão de um nível superior. Isso é o lógico e é assim que funciona no mercado, mas não no Incra, onde os concursos são idealizados por pessoas que querem aumentar o número de colegas de sua carreira, em detrimento do serviço a ser realizado e isso fez com que o Incra se tornasse uma zona, servidores de diversas formações fazendo serviços que não condizem com sua formação (de todas os tipos, agrônomos, engenheiros, níveis médios e técnicos), chefias sem a exigência mínima de formação específica, quiçá acadêmica/profissional. E isso é culpa do Incra mesmo ou do governo? Os servidores se recusam a aceitar ordens dos diversos desqualificados que ocupam cargos logo no começo ou aguardam pacientemente até que as lambanças os atinjam?
        Servidores bitolados, entendo eu, são os que fazem greve tentando conseguir qualquer coisa e param antes da eleição para prejudicar o governo, como aconteceu em anos anteriores, ou aquele que apela para o salário baixo para justificar o faz-me-rir que, finalmente, tem sido noticiado pelas páginas policiais. Aliás, antes do Incra brigar por mais condições de serviço, remuneração e força de trabalho, seria interessante se as auditorias internas punissem, antes da justiça. Talvez assim o Incra deixasse essa imagem de um órgão que precisa ser azeitado e passasse a ser mais respeitado, inclusive por seus servidores.

  3. Fernando Fernandes Sabino Says:

    Reginaldo, faça um relato de todas estas reuniões que tiveram esta semana!

  4. PANTCOB Says:

    Concordo com vc Reginaldo.

    Parabens pelo trabalho que vc e demais colegas vem realizando em prol do INCRA.

    Não é fácil. As vezes parece que nossa luta é dar soco em ponta de faca, mas vamos vercer se unidos estivermos.

    Abraço

    • Incra Analista Says:

      Compartilho da manifestação do colega, já que ninguém, a não ser o Reginaldo e sua Equipe, se prontificou até hoje para nos defender. E não adianta dizer que faz não porque as mobilizações das SR´s chegam a ser ridículas, já que uma meia dúzia de gato pingado comparece para discutir qualquer assunto sobre a nossa situação.

      Reginaldo, bom trabalho e que consigamos algum retorno para gratificar suas atividades!!!

      Muitos só sabem criticar sem auxiliar em nada!

      • cnasilutas Says:

        Caro Analista e demais companheiros
        A direção da Cnasi (e eu pessoalmente, pelo fato de tomar a maioria da porradas – já q me esponho muito mais) agradece as palavras de apoio. Esclareço q não estamos aqui defendendo exclusivamente uma entidade, mas sim os servidores, o Incra e a reforma agrária (entre outras atribuições). No momento a Cnasi é q está à frente da briga e estamos bem (em termos de luta), pois pautamos governo, mídia, entidades, sociedade para a problemática – embora ainda sem solução.
        Certamente q modernização sempre é necessária para qualquer entidade, inclusive um de nossos diretores está analisando o estatuto atual para propor mudanças. O problema é q desde q assumimos os problemas constantes sobre Isonomia, reestruturação de carreiras, salário, Gdara/Gdapa, desestruturação, etc, nos tem tirado tempo. Para fazer a alteração é preciso uma plenária estatutária específica e isso tem um custo financeiro alto, mas não impossível de ser realizada. Para vocês terem uma ideia das dificuldades, há um mês tento com a Condsef para viabilizar uma plenária setorial do Incra, mas ainda não conseguimos confirmação. Neste final de semana haverá uma reunião em Brasília, da Condsef, para planejar atividades e estamos com um grupo de servidores pautados com a missão de conseguir essa plenária. A direção da Cnasi vai estar presente.
        No mais é isso, meus caros.
        Um abraço
        Reginaldo

  5. Marcos Silva Says:

    Acho que neste momento crítico, questionar a CNASI não leva a nada.Eu pessoalmente apoio esta direitoria, mas para os que não apoiam, digo que a CNASI, ruim com ela, PIOR seria sem ela. Vamos passar por este momento turbulento e depois, em épocas mais tranquilas, questionar e mudar o que tem que mudar.
    A próposito, todos estamos anciosos pelas notícias destas reuniões.Acesso o site até a noite, na esperança de encontrar respostas para a nossa situação.Acredite, estamos todos no aguardo, esperando as informações sobre estas reuniões.

  6. Fernando Fernandes Sabino Says:

    Reginaldo, parabéns pelo trabalho que está sendo feito, excelente! Agora poste aqui no fórum o resumo da reunião com o Secretário Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, que aconteceu ontem, 23/03, com a presença do Núcleo Agrário do PT.

    As duas questões principais são: Quando será publicado o ato de restruturação do INCRA, ou sua extinção, caso acontecer? Como ficarão os 6.000 servidores do INCRA nesta história? Serão redistribuídos a outros órgãos?

    Se tivermos resposta para estas duas questões, acredito que dará maior tranquilidade ou não, dependendo das respostas, para nós servidores. A situação atual é a seguinte: Entrei em contato com 5 SR’s e fui informado que “está tudo parado”, “ninguém está fazendo nada”, “estamos aguardando definições do futuro do INCRA”, “o INCRA está sem comando”, “Há empresas contratadas pelas SR’s que já entrarão com ação na justiça para receber do INCRA, pois não puderam pagar o serviço por falta de financeiro”… blá, blá, blá…

    Como querem discutir GDARA e GDAPA se desde janeiro nenhuma SR fez absolutamente NADA!!!! Em vez de GDARA vamos ganhar uma GDURA nos 80 pontos de avaliação institucional, não por nossa culpa, mas por este Governo inescrupuloso…

    • cnasilutas Says:

      Caro Fernando
      Desde ontem estou em busca de informações sobre estas reuniões, nas quais participaram apenas parlamentares q integram o Núcleo Agrário do PT e ministros. Ainda não consegui tais dados. Sabemos q as propostas de desestruturação / reestruturação do Incra estão trafegando em instâncias governamentais, sem nenhuma participação de servidores e suas entidades representivas nas discussões. Estamos acionando diversos segmentos parceiros para furar tal bloqueio – vai ou racha. Se houver qualquer mudança sem participarmos, como estão pretendendo, vamos partir para a “ignorância”.
      Um abraço
      Reginaldo

  7. Sr. Coxinha Says:

    Agora gostei do tom de fala do Reginaldo.É partir para ignorância!

  8. Analista Maranhense Says:

    Eita, e pensando eu que você já estava por dentro de tudo que tinha acontecido nesta reunião.Acho que ela seria decisiva para sabermos a verdade sobre o nosso futuro. Os deputados que foram nela estão difíceis de encontrar?Será que a coisa é tão ruim assim?

  9. Fernando Fernandes Sabino Says:

    Eu acho que se nem os deputados que participaram desta reunião estão querendo passar alguma informação a CNASI, é porque a coisa está feia para nosso lado. Não tinha necessidade nenhuma de blindar o grupo de servidores que estão trabalhando no documento de desestruturação/reestruturação do INCRA, caso tais mudanças fossem apenas de criar duas instâncias consultivas junto ao gabinete do Presidente do INCRA (Corregedoria e a outra que não estou lembrado), conforme foi circulado em documentos aqui no website da CNASI.

    Reforço o que sempre disse aqui: Quando for publicado o Decreto do INCRA vai vir para valer. Escute o que eu estou dizendo. Só não espero que o INCRA fique igual a FUNAI e a FUNASA, que passaram recentemente pela mesma situação que estamos passando agora. Aliás, está sendo marca registrada do governo da Dilma publicar atos sem a devida consulta aos servidores afetados. O Decreto das diárias foi assim. O governo não perguntou ao INCRA ou o MDA qual era a real necessidade de recursos para custeio dos trabalhos de campo para 2011. Publicou o Decreto, definindo teto orçamentário para todos os ministérios e CUMPRA-SE…

    Tenho muito medo deste silêncio e deste mistério todo que está sendo adotado para esta desestruturação do INCRA. Este Governo já deu mostras do que é capaz. Os movimentos sociais estão muito calados, só esperando a extinção do INCRA para continuar a festa. Continuo achando que o guarda-chuva será o MDS.

    Se o INCRA vai acabar, pelo menos o governo tem que respeitar os pais de família que estão desempenhando o seu papel enquanto servidores públicos, na proporção que o Governo oferece a estrutura física de trabalho. Os servidores não são culpados pela má gestão do órgão, pela falta de controle das ações dos Superintendentes colocados pelos partidos políticos, e do sistema hiperburocrático que foi adotado para que nossos trabalhos não tivesse conclusão.

  10. Incra Analista Says:

    Para mim o Movimenmto Social já sabe o que vai acontecer conosco, e sinceramente tenho certeza de que perderemos atribuições e que viraremos uma FUNAI da vida sim, infelizmente!É evidente que as coisas já estão bem encaminhadas. A demora para a escolha do Presidente e dos Superintendentes é com certeza o indício forte de que tudo vai mudar, e muito!

    Concordo com o amigo acima, o Governo deveria nos respeitar e pelo menos ser justo e dizeer que realmente estão reestruturando o Órgão, afinal fazemos parte dessa porcaria que deixaram virar o INCRA. A culpa não é nossa!!!

  11. PANTCOB Says:

    25/03/2011 – 11h17
    Novo presidente do Incra tem chancela do MST
    PUBLICIDADE

    JOÃO CARLOS MAGALHÃES
    DE BRASÍLIA

    O governo decidiu na noite de ontem que o engenheiro agrônomo Celso Lacerda será o novo presidente do Incra (Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária). Ele substituirá Rolf Hackbart, desde setembro de 2003 à frente do órgão.

    Considerado um nome técnico, Lacerda é hoje diretor de Obtenção de Terras e Implantação de Projetos de Assentamento do Incra.

    Sua nomeação, cogitada pela cúpula do governo desde janeiro, deve ser publicada no “Diário Oficial” da União na próxima segunda-feira. A posse pode ocorrer já na terça.

    Ligado ao PT do Paraná, Estado em que foi superintendente do Incra antes de chegar a Brasília, Lacerda tem a chancela do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

    No espectro ideológico, está mais à esquerda do que Hackbart, afirmaram à Folha funcionários do órgão.

    A expectativa é que ele possa ampliar a reforma agrária, cujos resultados durante os oito anos de governo Lula foram criticados por movimentos sociais agrários.

    Lacerda terá de lidar também com planos do governo para mudar a atual estrutura administrativa do Incra, concentrando poder e dinheiro em Brasília e esvaziando as superintendências regionais.

    Uma minuta de decreto prevê a criação de uma “diretoria-geral” para o órgão, para “coordenar e supervisionar as superintendências regionais na execução das suas atividades finalísticas”, além de “coordenar e monitorar a programação orçamentária e financeira”.

    Outra novidade, segundo a minuta, será a “corregedoria-geral”, que acompanhará “o desempenho dos servidores e dirigentes das unidades do Incra, fiscalizando e avaliando sua conduta funcional”.

  12. Analista Maranhense Says:

    O presidente ja está quase nomeado!!!!!!!!!!!!!!Acho que ele já tem conciência do que acontecerá com o órgão…..com certeza ele foi informado da situação que irá encontrar.Será que ele terá coragem de falar algo antes de algum decreto sair?Quais são as suas intenções com a autarquia, e com os servidores? Marcamos tão logo uma reunião com ele para sabermos o que ele tem a dizer!

  13. pragmatico Says:

    Vou colocar algumas considerações que acho pertinente nesse momento e espero que não seja mal interpretado. Primeiro, estamos num momento crucial de desestruturação/reestruturação/extinção do órgão que vem há muito tempo sendo bombardeado por interesses de grupos políticos e movimentos que se utilizam do órgão para benefício próprio e o pior, falando em nome do pequeno agricultor. No entanto, nós servidores em nenhum momento enquanto organização – senão em alguns raros lampejos de protestos de algum servidor – nos voltamos contra o processo. O medo de desestruturação/Re-extincao do INCRA ao longo do tempo nos fez pensar que o acumulo de atribuições significaria fortalecimento do órgão. Acumulo esse que nos tornou ineficientes e inoperantes e cada vez mais nos utilizamos dos velhos e superados discursos: FORTALECIMENTO DO ORGAO, MAIS SERVIDORES, MAIS ATRIBUICOES, ETC e continuamos nessa linha de atuação. Que proposta efetiva senão a de FORTALECIMENTO E ESTRUTURACAO DO INCRA, ISONOMIA E REESTRUTURACAO JA, foi colocada? O que temos de concreto para oferecer? Somos capazes de realizar o que a sociedade propõe ao órgão? ou preferimos o discurso ideológico e utópico que beneficia meia dúzia de pessoas? As bases estão sendo realmente ouvidas? Por que criticamos a relação promiscua que ocorre muitas vezes entre os movimentos sociais e INCRA e vivemos de mao dadas com ele inclusive nos aliando ao MLST quando entrega um documento e demais outras ações, que independência queremos? Outrora as ocupações eram por terra hoje por recursos, por quê? Vocês acham que os movimentos estão defendendo o INCRA? Por que os salários dos técnicos de ATER saltaram e os nossos continuam estagnados, por que nossa demanda não é atendida? Abramos os olhos e ampliemos os debates caros amigos.

  14. Servidor da Sede Says:

    Reginaldo,
    Quero lhe parabenizar! Independente de tuas atitudes estarem certas ou não, vc não tem medo de mostrar a cara e tomo algumas ações. Prefiro ter atitude, mesmo que se mostrem erradas no futuro, do que ficar no “banho-maria”, de tapinhas nas costas como a CNASI estava.

  15. Formol Says:

    Nos do interior apoiamos os colegas Servidores da Sede do INCRA – 08 e tambem queremos a cabeça do DOM RAIMUNDON e toda a sua corja.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: