SÉRGIO MENDONÇA: SÓ TENHO AUTORIZAÇÃO PARA APRESENTAR PROPOSTA AO INCRA E MDA EM 31 DE JULHO, MAS SE A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MANDAR APRESENTO NO MESMO DIA

A reunião desta quinta-feira (31/05), em Brasília, entre os servidores do Incra e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com a Secretaria de Relações do Trabalho (SRT), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) teve o mesmo resultado da anterior – nada. Depois de muita pressão de servidores, parlamentares, movimentos sociais e sindicalistas o secretário de relações do trabalho do MPOG, Sérgio Eduardo Arbulu Mendonça, foi direto e afirmou que não tinha resposta para as reivindicações dos servidores do Incra e MDA. “Só tenho autorização para apresentar proposta ao Incra e MDA no dia em 31 de julho de 2012, mas se a Presidência da República mandar apresento no mesmo dia”, firmou Mendonça, que confessou sequer ter encaminhado à ministra Miriam Belchior (MPOG) a reivindicação dos servidores – segundo ele mesmo.

De acordo com o secretário, o Governo não quer que o Incra e o MDA façam greve, mas a decisão de reestruturar os órgão, fazer concurso, aumentar o salário está em uma esfera macro, além do poder da SRT. “Não vou sequer agendar uma nova reunião, pois se reunir para marcar novo encontro só aumenta a fama desta mesa de fazer apenas enrolação”, disse o titular da SRT.

Saiba mais no http://www.cnasi.org.br/

2 Respostas to “SÉRGIO MENDONÇA: SÓ TENHO AUTORIZAÇÃO PARA APRESENTAR PROPOSTA AO INCRA E MDA EM 31 DE JULHO, MAS SE A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MANDAR APRESENTO NO MESMO DIA”

  1. Ivanildo Says:

    Que rapaz sincero este Sérgio Mendonça! “Não vou sequer agendar uma nova reunião, pois se reunir para marcar novo encontro só aumenta a fama desta mesa de fazer apenas enrolação” ou seja, somos enrolões mesmo e esqueçam melhorias para as vossas categorias.

  2. Rodrigo Says:

    A chave de tudo é motivação e vergonha na cara.
    O INCRA precisa HOJE de CHOQUE provocado por um dos coletivos abaixo:

    1. Governo;

    2. Servidores do órgão;
    2.1. Grupos de servidores com vergonha na cara;

    3. Diretorias do órgão;

    O primeiro não faz, pois tem receio de usar instrumentos contundentes contra suas bases;
    O segundo também não faz por vários motivos que nem cabem aqui, dá vergonha explorá-los. Segue apático, amarelado e resignado, com exceção do sub grupo “com vergonha na cara”;
    O terceiro… este precisa se manter nos cargos! No entanto dá
    modestos sinais de apoio ao segundo, pois está desinstrumentalizado para se manter nos cargos.

    Estes três, em função da rotineira postura destegoverno, são
    considerados por muitos os motivadores do estado de coisas, sendo o primeiro solidariamente responsável por tudo (por inércia, omissão, etc). A tendência do primeiro é a de imputar culpa ao segundo, penalizando-o severamente como nos dias de hoje.

    Qual solução então? Expor o terceiro, o primeiro (blindado) e
    talvez o segundo. Será que é tão difícil? Com a turma do “deixa disso” que está sob controle do terceiro e principalmente do primeiro? O coletivo pseudo-democrático tem um caráter difuso, heterogêneo. Não chega a ter a vergonha na cara necessária para expor a verdade, que não lhe é conveniente.

    Na minha opinião, qualquer atitude na direção do CHOQUE somente
    poderá ser iniciada por grupos de servidores em operações dispersas, sem coesão e sem apoio do coletivo, o que resultará em alguma coisa além de críticas, dissidências e outras sequelas.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: