PLANEJAMENTO SEGUE SEM FORMALIZAR RESPOSTAS À PAUTA DOS FEDERAIS. PARALISAÇÃO OCORRE NO DIA 8 DE ABRIL – CONDSEF

O Ministério do Planejamento voltou a descumprir a palavra dada às 31 entidades que compõem o fórum em defesa dos servidores e serviços públicos. Em reunião no último dia 19, conseguida depois de mais uma atividade de pressão que unificou servidores de diversas categorias, o secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça, havia se comprometido a apresentar resposta formal à pauta dos federais até o final deste mês. Esta é a segunda vez que o compromisso assumido não se cumpre. Frente ao cenário de descaso e impossibilidade de diálogo sem que haja pressão, os servidores precisam reforçar a mobilização se quiserem ver avanços em suas demandas mais urgentes. Na mesma reunião, Mendonça sinalizou verbalmente que dentre as demandas colocadas há uma possibilidade de abertura de diálogo sobre reajuste em benefícios como auxílio-alimentação, creche, saúde suplementar entre outros.

 

Na semana passada o assunto sobre benefícios esteve em destaque com a informação de que servidores da Câmara, Senado e TCU (Tribunal de Contas da União) tiveram atualizados os valores de dois de seus benefícios: auxílio-alimentação e pré-escolar. O rejuste de 5,92% será retroativo a 1º de janeiro de 2014 e fixa os valores em R$ 784,75 para auxílio-alimentação, e cerca de R$ 614 para ajuda pré-escolar. O atendimento deste pleito justo gera uma discrepância ainda maior entre os valores dos benefícios pagos aos servidores dos Três Podres. No Executivo, os valores seguem fixados em R$373, no caso do auxílio-alimentação, e R$95 para assistência pré-escolar.

 

A Condsef continua buscando reunião com o Planejamento para discutir a correção em valores de benefícios bem como a antecipação da parcela 2015 referente ao reajuste de 15,8% negociado com a maioria dos servidores e escalonado em três vezes (2013, 2014, 2015). As demandas estão baseadas em estudos técnicos feitos pela subseção do Dieese na Condsef que relacionam a situação dos benefícios e reajustes com a inflação medida no mesmo período. Os dados mostram que o reajuste acumula um déficit e a antecipação da parcela ajudaria a recompor o poder de compra do servidor público.

 

Intensificar pressões – É importante que os servidores acompanhem o calendário de atividades proposto pelo fórum em defesa dos servidores e serviços públicos. O objetivo é intensificar as pressões junto ao governo para conquistar avanços em negociações que seguem estagnadas. No dia 7 de abril as entidades do fórum vão participar de um ato no Rio de Janeiro em defesa de saúde pública e gratuita com qualidade. No dia 8, terça-feira, servidores farão um Dia Nacional de Lutas com paralisação de atividades em todo o Brasil. Atos serão organizados pelas entidades que compõem o fórum nos estados e setores dos movimentos sociais também serão convidados a participar.

 

O intuito, mais uma vez, é chamar a atenção do governo para a urgência de dialogar com os trabalhadores do setor público e investir adequadamente em serviços de qualidade para a população. Os movimentos de mobilização dão força aos trabalhadores da Valec e técnicos das universidades que já deram a largada para greves legítimas por tempo indeterminado. A Condsef também vai participar no dia 9 de abril de ato em defesa da classe trabalhadora convocado pelas centrais sindicais em São Paulo.

 

Para avaliar as atividades, o fórum nacional volta a se reunir na sede da Condsef em Brasília no dia 11 de abril. Outras atividades já estão apontadas. Entre elas está um dia nacional em memória das vítimas de acidentes de trabalho com paralisação de auditores e servidores administrativos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Além disso, o fórum aponta mais um Dia Nacional de Lutas com atos nos estados no dia 1º de maio e uma atividade nacional com marcha a Brasília para o dia 7 de maio para voltar a pressionar o Planejamento pelo atendimento da pauta mais urgente dos federais.

 

Acompanhe o calendário e participe das lutas:

 

07/04 – Ato no Rio de Janeiro em defesa de saúde pública e gratuita com qualidade

08/04 – Dia Nacional de Lutas com paralisação nos Estados

09/04 – Ato das centrais sindicais em defesa da classe trabalhadora em São Paulo

11/04 – Reunião do fórum de entidades

28/04 – Dia nacional em memória das vítimas de acidentes de trabalho

01/05 – Dia do Trabalhador com atos nos estados

07/05 – Ato nacional com marcha a Brasília

 

Fonte: Condsef 

Uma resposta to “PLANEJAMENTO SEGUE SEM FORMALIZAR RESPOSTAS À PAUTA DOS FEDERAIS. PARALISAÇÃO OCORRE NO DIA 8 DE ABRIL – CONDSEF”

  1. incratocantins Says:

    Reblogged this on Signatários Tocantins.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: